Informações importantes sobre o Bull Terrier

O lindo cachorroBull Terrier na História

A motivação da concepção do Bull Terrier no século XIX não é inteiramente concordante com o Bull Terrier contemporâneo. O Bull Terrier tem origem em cães padrão Bull e Terrier, produzidos como cães de caça e luta, práticas extintas na Inglaterra naquele tempo. A sua proveniência pode ser conectada a um sujeito denominado James Hinks, da cidade de Birmingham (Inglaterra), que, após muitos anos de ensaios, apresentou essa raça no início da década de 50.
Com o objetivo de se encontrar um exímio cão para combates, estabeleceu-se naquele tempo misturar com o Dálmata, então produziu-se o Bull Terrier contemporâneo. A briga entre cães e, inclusive, entre cães e touros, era bem normal na Grã-Bretanha de antigamente, ainda mesmo após a sua proibição no país.
É importante saber a procedência do Bull Terrier que conhecemos hoje, pois, apesar dele ser uma combinação de 3 linhagens (Dálmatas, Bulldogs e English White Terriers), de fato ele é resultante dos mastins. Esses eram usados demasiadamente para lutar contra exemplares com um porte físico muito maior que o seu.
Nascidos a partir de espécies de animais furiosos, vigorosos e violentos, os Bulldogs antigos foram originados como combatentes – e foi por este intuito que esta foi uma das espécies utilizadas para pretender dar proveniência ao cão de combate ideal, que acabou tornando-se o Bull Terrier depois de uma outra série de acasalamentos.

Características do Bull Terrier

O Bull Terrier é uma espécie submissa, bastante tolerante defronte a firmeza. É um cão de musculatura sólida, dinâmico e bem-proporcionado. Sua cabeça é alongada, rígida e gigantesca até o fim do focinho, a superfície é livre de cavidades ou recortes e o maxilar é profundo e resistente. Seus olhos são aprofundados, estreitos e em um formato de amendoim, com olhar enfeitiçante. Suas orelhas são próximas, empinadas e estreitas.
O seu esterno fica mais próximo do solo, possuindo uma cernelha com grande profundidade e o seu corpo é ovalado e suas costelas são bastante curvadas. A cauda da espécie não costuma ser estreita, de inclusão nunca tão erguida.
Sua pelagem é muito estreita, carregada e rígida na ocasião em que tocada. Em relação à cor, há o famoso Bull Terrier Branco que pode ser todo branco ou pode vir a ter pequenas pintas pigmentadas. E tem o Bull Terrier inteiramente colorido, com ínfimas partes claras.

Como tomar conta de um Bull Terrier

Você tem que agradá-lo com atividades que incentivem sua intelectualidade. Deixe o animal em um lugar protegido, ainda que ele adora movimentar-se muito. O adequado é que você possua um quintal onde possa colocá-lo, contudo jamais o deixe em locais completamente com muita liberdade.
Exercícios físicos e intelectuais são vitais a fim de haver equilíbrio e equilíbrio entre o espécime e todo mundo ao seu redor, embora as muitas transformações ocorridas com a raça desde o seu nascimento tornaram o Bull Terrier mais brando, amoroso e tranquilo. Se ele não gastar toda a energia que possui acumulada, ele pode se tornar bem mais agressivo e irritado, e isto deve-se ao modo como foi produzido, sendo tratado como um cachorro de confrontos.
Se você mora em prédios ou ambientes demasiadamente pequenos, nem pense em possuir um Bull Terrier, eles carecem de espaços bem amplos. Têm pessoas que têm cachorros como o Bull Terrier em locais mais reduzidos, apesar disso, isto demanda muito mais empenho dos donos, que devem sempre instigar as distrações e a intelectualidade do cão (que já é avolumado, considerando que a raça é a sexágésima sexta colocada na lista que determina os cachorros mais astutos do planeta).
Os cuidados com os pelos são ínfimos.

Benefícios de ter um pet Bull Terrier

Esta raça não é recomendada para todos os indivíduos, mas as que o possuírem observarão muitas coisas amáveis. Seu comportamento é, com certeza, o sinal mais característico desses cães. Este cachorro vai acompanhá-lo até o último dia de sua vida, sendo bastante leal a você e seus familiares. Ao passear com esse espécime, compreenda que ele é bastante curioso, investigando tudo a sua volta e se entretendo simultaneamente.
Quando apresentam para o Bull Terrier um utensílio que seja (podendo ser um bicho de mentira, uma bola de tênis, o que for), ele vai fiscalizar, satisfazer seus intuitos, irá brincar com ele e, afinal, irá começar a comer e destruir seu objeto. Sem instrumentos para divertir-se, o Bull Terrier é, certamente, inventivo o suficiente para permanecer distraído. Esta raça, exatamente como as demais, ama estar fazendo alguma coisa a todo momento, especialmente divertir-se.

Problemas comuns do Bull Terrier

Mesmo que seja, no geral, uma espécie bem saudável, complicações associadas a hérnias e à pele são capazes de acontecer nos cachorros da espécie, que também tendem a ser lesados por problemas de acne e até acrodermatite, uma séria enfermidade que atinge os cães quando filhotes e provoca desde a pelagem quebradiça até a dessecação dos coxins e contusões nas mais diferentes áreas do corpo do cachorro.
Um dos grandes problemas da raça é a perda auditiva, de um ou dos dois ouvidos. Em um determinado tempo esses distúrbios foram referidos à coloração esbranquiçada, e inclusive em decorrência disto, foram criados os exemplares multicoloridos.
O Bull Terrier é para aqueles que apreciam cachorros que aprendem sozinhos, todavia não para quem pretende possuir um parceiro dócil. O mais adequado é que você seja um proprietário de cães mais experiente, pois essa raça não é apropriada para pessoas que estão querendo ter um filhotinho pela primeira vez. A sua personalidade não possibilita que o indivíduo seja inexperiente no assunto.
Este cachorro é bastante firme ao treinamento, devido a isso ele leva mais tempo para assimilar em relação aos demais. Ele não é agressivo com pessoas estranhas, todavia, caso você queira que ele inclusive seja brincalhão, então é bem melhor habituá-lo desde filhotinho com estranhos.

Filhote de Bull Terrier

Precisamente como os cachorros idosos, os filhotes também são um poço de energia e têm necessidade de distrações e de vigilância porque, como parecem estar constantemente procurando algo para se distrair, se forem deixados desacompanhados por longos momentos, são capazes de ser bastante destrutivos. Eles inclusive precisam ser acompanhados toda hora. Deixá-los isolados tem probabilidade de ocasionar muito arrependimento futuramente.
A pelagem desse cão é muito pequena e não carece de cuidados extremos. Caso você more num edifício, reflita bem: já que será preciso ajudá-lo a consumir a energia de diversas maneiras.
O que irá decidir se o seu cão vai ser violento ou não é o estilo de cuidado que você concede para ele: seja afetuoso com o seu espécime e você possuirá um cachorro dócil, respeitoso e bastante parceiro por toda a existência.
Os Bull Terrier são muito robustos, fazendo que, no momento em que nervosos, possam gerar grandes problemas para quem está na sua frente. Por isso o carinho é muito importante. Este cachorro não é agressivo, todavia, se estimulado para um ato deste, é capaz de ser parecido a um Pitbull em estado de fúria.

Curiosidades sobre o Bull Terrier

Seu cachorro encontrará alguma coisa para fazer e, se você estiver no local, o exercício dele irá ser te fazer sorrir. Ele gosta de fazer brincadeiras para você, assim se habitue a observá-lo pulando e se distraindo sozinho, com o intuito de somente fazer você se alegrar. Se você possuir muita energia, poderá distrair-se com ele por muitas horas.
Se estas aptidões atléticas não chamarem sua atenção, é aconselhado que tape os ouvidos. Ele vai empregar um modo de chamar a sua atenção. Eles se queixarão, rosnarão e vão balbuciar para divertí-lo. Admita ou não: seu Bull irá tentar “conversar” com você. No momento em que conseguir atrair a sua atenção, ele vai emitir alguma espécie de sinal.
Seu dono irá regozijar-se com isto, apesar que para alguns isto possa parecer exótico. Os Bull Terriers gostam de encontrar não interessa o tipo de arbusto ou uma pequena parte de relva com o objetivo de se acomodar, ao olharem-nas eles não irão hesitar em se reclinar abaixo delas.
Toda vez que se aproxima, você perceberá que ele irá estar com um olhar distante, ele se sentirá mais relaxado e vai se “desligar” desse mundo. Depois de um certo tempo, ele se levantará, vai arrumar a sua pelagem e continuará o seu passeio. Diversos proprietários já perceberam isso ocorrer dentro da habitação também, quando põem a árvore natalina e inclusive não foi encontrada nem uma explicação racional para este comportamento.

Deixe uma resposta