Proteger as posses das pessoas ou de outros animais é um temperamento normal para cachorros. Os animais selvagens que preservam com sucesso seus recursos preciosos – como alimentos, amigos e territórios onde habitam – são mais propensos a sobreviver na natureza do que aqueles que não atuam deste jeito. Ainda assim, constatamos, em nossos pets, uma inclinação indesejável, principalmente na ocasião em que o comportamento é dirigido aos seres humanos, de defender os artigos prezados por eles, como refeições, como por exemplo.
A defesa de utensílios e recursos preciosos percebida em cães pode oscilar de um comportamento levemente benigno, como escapar com um item almejado ou grunhir para alguém que vai se aproximando, até uma agressividade total, como morder ou correr atrás de alguém. Certos cachorros somente dirigem a proteção dos recursos para algumas pessoas, na grande parte das vezes, desconhecidas. Outros cães defendem seus “bens preciosos” de todos. Os cães variam no que consideram valioso. Alguns cães protegem somente os ossos ou os brinquedos. Outros, protegem itens roubados, como pacotes de comida pegadas da lata de lixo ou pés de meias. Porém, vários cachorros guardam a própria alimentação.

É um problema comportamental guardar alimentos?

caes-guardam-coisas
Em muitos casos, a proteção de alimentos não necessita ser tratada. Diversos pais de estimação de cães adultos que preservam os alimentos simplesmente tomam medidas críveis para garantir a proteção de todas as pessoas. Eles deixam seus cachorros solitários enquanto estão se alimentando, ou podem até alimentar seus cães em uma área isolada. Eles fornecem a seus cães porções apropriadas de alimentos para que seus cachorros sintam-se menos animados a se defenderem. E os donos de cachorros com esse padrão jamais tentam tirar os alimentos de seus cachorros.

Não deixe de analisar os sintomas

Por outro lado, se crianças vivem em uma casa com um cachorro que defende alimentos e outros itens, a circunstância se torna crítica. As crianças são mais inclinadas a serem abocanhadas porque não são capazes de ver os sinais de alerta que um cão mais propenso a se comportar de forma agressiva pode oferecer. Em alguns casos, o perigo de morar com um cão que defende comida chega a ser alto até mesmo para adultos. Como por exemplo, certos cachorros escondem alimentos que caem de mesas e balcões, restos de comida dos pratos que encontram-se na máquina de lavar louça e ainda alguns alimentos que, porventura, caíram no chão. Desta forma, fica impossível, durantes essas circunstâncias, prevenir o comportamento de guarda.

Como você pode prevenir esse comportamento.

caes-guardam-coisas
Filhotes jovens são mais suscetíveis a terem esse tipo de comportamento pois, muitas vezes, eles devem competir com seus parceiros de ninhada por quantias limitadas de comida. Criadores, frequentemente, alimentam cachorros em uma ampla panela comunitária e o filhote que consegue comer mais, vai crescer mais depressa e vai se tornar o mais forte. Se um criador não é observador, essa situação é capaz de acabar com um ou dois filhotes tomando a maior parte dos alimentos.
Se acabou de obter ou acolher um cão jovem ou adulto que não protege as coisas, é preciso fazer determinados exercícios simples a fim de evitar que ele crie comportamentos de guarda. Assim que você levar o seu novo cão para sua moradia, certifique-se de oferecer a ele diversas refeições. Sente-se com o seu cão e oferte a ele ração, um pouco de cada vez. No decorrer das refeições, alimente o cão com sua mão, dialogue agradavelmente com o cachorro e afague o animal de estimação enquanto oferece a ração com a outra mão.
Caso ele demonstre qualquer desconforto ou precaução, pare de alimentar seu cãozinho. Porém, se o seu cão parece estar tranquilo e confortável com a alimentação por sua mão, passe a pegar a tigela de comida em seu colo e deixe que ele coma da vasilha. Continue a falar com ele e caricie sua cabeça e seu corpo no mesmo momento em que ele come. A partir de algumas refeições, bote a tigela do seu cachorro no chão e, enquanto ele come, espere cair um tanto no chão, pegue e ponha de novo na vasilha. Se você fizer isso de forma intermitente ao longo dos primeiros meses, depois que levar o seu cachorro para sua residência, o animal, possivelmente, permanecerá calmo e não irá se sentir ameaçado devido a sua presença quando come.

Deixe uma resposta