O Pet Dachshund

Resultado de imagem para DachshundDevido a fisionomia praticamente hilária, os Dachshunds costumam ser uma das raças de cachorro favoritas pelos  desenhistas e produtores de brinquedos;
O Dachshund existe em dois tamanhos, três tipos de pelos e uma grande multiplicidade de colorações e manchas, o que sugere que existe um filhote de salsicha para praticamente todo mundo;
Um Dachshund foi amuleto dos Jogos Olímpicos de Munique no ano de 1972 – O cão Waldi foi o primeiro mascote oficial em Competições Olímpicas;
A rainha Victoria amava os Dachshunds, era uma de suas espécies prediletas e por causa dela se tornaram célebres na Inglaterra;
No Brasil eles foram chamados de “Cofap” por causa de uma marca de suspensões automotivas que empregam o Dachshund como garoto propaganda;
Seu apelido de “Salsicha” também veio de uma marca de salsichas que usava o nome da raça em seus produtos.

Origem e História do cão da raça Dachshund

Essa é uma espécie muito velha que segundo alguns historiadores datam mais de 5 mil anos, uma vez que foram observadas diversas figuras iguais a ela em tumbas de faraós. Mesmo assim, sabe-se que o Teckel foi desenvolvido em sua forma contemporânea nas terras alemãs.
Naquela época, os alemães buscavam um cão que fosse veloz o suficiente, pequeno e firme para que pudesse penetrar em esconderijos de texugos, lebres e coelhos. Como consequência existiram nove diversos tipos os quais foram levados para a Grã-Bretanha e fizeram parte da corte da Inglaterra, o que tornou o cachorro da raça ainda mais conhecido.
Seu porte, recentemente, não é calculado pelo peso, porém pelo tamanho de seu busto, consoante os órgãos internacionais encarregados pela categorização e pelos cuidados destes cachorros de puro sangue.
Há duas hipóteses a respeito de como os critérios da espécie Teckel despontaram. Uma delas defende que os cães da espécie geravam ocasionalmente filhotes que possuíam um pelo um tanto mais extenso do que seus antecessores. Por uma escolha realizada através de apuração de espécie, outros cachorros com o mesmo semblante eram produzidos. Outra teoria é que o padrão do cachorro de pelos extensos poderia ter sido desenvolvido a partir de um acasalemento de cães de pelo alisado com cães de vários locais e Spaniels.
O cão de pelagem comprida foi o último a se desenvolver sendo criado no final dos anos 1800. Há a possibilidade também de terem misturas com cachorros, como por exemplo: Schnauzer, o Dandie Dinmont Terrier.

Características Corporais do cachorro da raça Dachshund

guia-dachshund O Teckel, ou Dachshund é um genuíno predador de tocas. Dotado de um olfato finíssimo, que lhe possibilita acompanhar a mais fina das pistas, o Dachshund costuma alcançar a toca e penetrar arrojadamente nela, agredindo o adversário que se ocultou.
Provido de características psíquicas e estilo físico muito único, por exemplo seu genuíno porte físico extenso e patas bastante pequenas, a cinofilia reservou um conjunto de cachorros especificamente para esta raça.
O Dachshund é um cão de membros pequenos, porte físico alongado, de aspecto robusto e musculatura sólida. Apresenta uma posição ativa da cabeça e semblante sempre sagaz. A despeito da assimetria entre o corpo longo e o suas patas curtas, o Dachshund não parece desprovido de charme, pesado ou de movimentações limitadas. Os olhos da espécie apresentam tamanho mediano, cor escura, forma ovalada, situados lateralmente, com expressão vivaz, energética e piedosa, sem olhar focadamente.
Existem três tipos de pelagem a saber para a raça: pelo reduzido, pelo duro e pelo comprido. De menor porte, os tamanhos vistos para a raça Dachshund são também três: tamanho mais comum (até 9 quilos); Anão (com circunferência torácica máxima de trinta e cinco centímetros aos quinze meses) e Kaninchen (com circunferência do tórax até trinta centímetros aos 15 meses).

Hábitos do cachorro da raça Dachshund

Se no início o Dachshund era um valente e corajoso caçador, hoje deixou à parte a maior parte de suas antigas funções e transformou-se em cão de companhia. Em função do seu tamanho, é uma excelente opção a quem reside em apartamentos, principalmente, uma vez que aprende com espontaneidade os hábitos de higiene. Adapta-se bem a lugares pequeninos e não é do padrão destrutivo.
Sagaz, esperto e muito divertido, o Dachshund é um excelente cachorro de guarda. Sempre atento, a qualquer sinal de proximidade de desconhecidos, ladra muito. É um bom parceiro para criancinhas e brinca mesmo depois de idoso. Convive de forma estável com outros animais e cachorros, mas não escapa de uma luta se for provocado.
Alguns criadores revelam que existem diferenças de comportamento de acordo com o tipo de pelagem, de maneira que os de pelos pequenos poderiam ser mais tratáveis e os pelos duros mais irrequietos e, até mesmo, ligeiramente mais violentos, porém isto não é comprovado, nem sequer consta do parâmetro da raça.
Outra qualidade da raça é sua auto-suficiência, o que lhe valeu reputação de rebelde. No relacionamento em família é um excelente parceiro, gosta e respeita a todos, porém dedica-se a apenas uma pessoa que elege como dono.

Benefícios de adquirir um cachorro Dachshund

problemas-dachshund

Independentemente do seu tamanho, Dachshunds são uma aquisição ótima para todos os membros da família, é por isso que eles estão quase na primeira posição como cães mais afamados desde meados do século XX. Sua bela aparência e disposição vívida tem motivado vários apelidos carinhosos para a espécie, incluindo Cachorro-Quente, Cachorro Salsicha, Doxie, Dashie e, principalmente na Alemanha, Teckels, Dachels ou Dachsels.
Entretanto sua aparência foi feita com propósitos bem mais sérios e diretos. Suas patas curtas lhes permitem escavar e manobrar através de galerias subterrâneas, ao passo que o enorme tórax retém um coração firme à briga. Dachshunds são valentes, contudo podem ser um pouco teimosos e ter um espírito auto-suficiente, especialmente quando caça.
Em sua moradia, a natureza recreativa do Dachshund se sobressai. Ele ama ficar próximo de você e “ajudar” a executar as coisas como amarrar os sapatos. Em função de sua esperteza, ele vez ou outra possui suas específicas ideias a respeito de quais são as regras quando se trata da hora da diversão e estas regras podem não ser as mesmas que você ou outras raças de cachorros têm entendimento.

Doenças normais ao cão da raça Dachshund

O Dachshund defronta alguns problemas próprios de raças de cachorros baixos (como o Basset Hound), entre eles predisposição à obesidade e problemas de coluna. A obesidade é capaz de ser administrada concedendo ao cão alimentos em porção apropriada (procure um veterinário para definir essa medida) e fornecendo uma quantia apropriada de atividades físicas.
Relativo aos problemas de coluna, que muitas vezes estão ligados à obesidade, precisa-se impedir que o Dachshund pule de locais altos e/ou ande em chãos escorregadiços. Entre os mais populares estão a luxação de patela (ruptura de 1 ou dos 2 ligamentos cruzados do joelho), por predisposição hereditária ou por choque; osteófitos ou bico de papagaio, provocado pelo engrandecimento excessivo do osso nos espaços entre as vértebras; hérnia de disco – provocada pela compressão da medula da coluna pelo atrito constante no meio das vértebras.
Outro problema comum é a dermatite que pode ser evitada dando banhos só na ocasião em que for impreterível.

Como tomar conta de um cachorro da espécie Dachshund

Dachshunds têm um grande número de energia e intensidade. Eles gostam de efetuar passeios ou brincar ao ar livre com outros cães, assim como gostam de caçar e cavar. Eles são inclusive ativos dentro da habitação e podem se encaixar bem em pequenos cômodos, desde que tenham uma quantidade equilibrada de exercício diário. Duas caminhadas, duas vezes por dia são o bastante para o tamanho deste pequeno atleta. Ocasionalmente, no momento em que o tempo for curto, um jogo de busca vai atender a sua necessidade de atividade.
Dachshunds são capazes de machucar as costas saltando do sofá para o solo, o melhor é que tenha uma rampa ou degraus e que sejam ensinados a usar se quiserem subir no sofá ou na cama. Na ocasião em que você alçar um Dachshund, sempre tenha cuidado em apoiar a sua traseira e seu peito.
É uma raça que precisa de poucos cuidados de limpeza. Eles perdem pelo, todavia não tanto. Eles não precisam tomar banho regularmente. Utilize um pano úmido entre banhos com o intuito de mantê-los higienizados. Se você vive em um local que é frio no inverno, seu Dachshund é capaz de carecer de proteção extra quando for passear. E essa raça jamais deve viver ao relento.

Filhotinhos de cão da raça Dachshund

Resultado de imagem para DachshundA média de nascimentos do Dachshund é de dois a dez filhotes, dependendo do porte da mãe.
Os filhotinhos têm que ser adestrados desde muito cedo a fim de que dono e cachorro sejam capazes de ter uma convivência perfeita. É um cão que procura agradar, mas necessita de limites claros e, acima de tudo, necessita compreender quem é que está no comando. De acordo com os produtores, no que tange o Dachshund a obediência cresce com a idade.
Como todos os cachorros, Dachshunds são capazes de ser destruidores quando filhotinhos. Seja sereno com o filhote desta raça e instrua o local adequado para efetuar suas necessidades, sempre enaltecendo e dando gratificações a fim de incitar o comportamento certo.

Informações importantes da raça Maltês

Resultado de imagem para MaltêsO essencial sobre a raça Maltês micro toy, você irá ver aqui. Ele se encontra visível na pintura da tapeçaria “A dama e o unicórnio”. Este cachorro foi bem contemplado por grandes celebridades no passar dos séculos;
A raça de cachorros Maltês micro toy é um dos preferidos de famosos, integrando Halle Berry, Heather Locklear e Eva Longoria;
Mesmo que seu Maltês vá querer entretê-lo, ele é capaz de ser difícil de ser ensinado;
Os egipcianos e, séculos depois, vários povos da Europa, cogitavam que o Maltês tinha a eficiência de curar as pessoas de doenças e botavam um na almofada de uma pessoa doente. Isto sugeriu uma de suas intitulações: “O Consolador”;
Ao longo do reinado de Henrique VIII, o Maltês chegou nas Ilhas Britânicas. Até o fim do século XVI, o Maltês tinha se tornado um animal doméstico preferido para mulheres da nobreza e realeza;
O cãozinho foi um dos preferidos da rainha Elizabeth I, Mary Queen of Scots e Rainha Vitória;
Diversos pintores, incluindo Goya e Sir Joshua Reynolds, colocou esses cachorros pequenos em seus retratos de damas belas.

O surgimento do lindo Maltês na História

Os ancestrais do Maltês vêm das cidades marítimas do Mediterrâneo. Eles eram usados para perseguir ratos e camundongos que atacavam embarcações e estabelecimentos e as primeiras referências que temos deste cão remontam aos tempos egípcios. Uma das raças mais velhas do planeta, o Maltês foi um companheiro adorado por praticamente três mil anos. Poetas romanos redigiram a respeito dessa raça e os gregos possuíam túmulos especiais feitos para eles. Ao longo de muitos anos eles desfilaram em torno dos palácios, brincavam nos jardins reais e passeavam nas mansões senhoriais.
Chamada pelo nome latim de Canis Malitaeus desde épocas remotas, o cachorro Maltês inclusive já foi referido como Cachorro Leão Maltês e Antigo Cão de Malta. Apesar disso, a sua procedência não está vinculada à ilha de Malta, na Sicília, todavia sim ao termo porto (ou refúgio), vinda da tradução do termo “málat”.
O Maltês teve seu lançamento nos EUA numa exposição em Westminster, no período de 1877. Um ano em seguida, a espécie foi registrada legalmente. Em tempos mais antigos, o Maltês nascia com pelos de outras colorações, definindo a sua nuance alva com o decorrer do tempo. Até o ano de 1913 diferentes colorações ainda eram permitidas nas exposições da espécie. Foi depois do século XX que se tornou obrigatório que os Malteses fossem completamente brancos.

Características do Maltês

historia-maltes

O Bichon Maltês é visto como um cão de porte pequeno e possui uma pelagem vasta e branca. A maioria das partes do corpo acabam sendo simétricas, não tendo enormes diferenças de estrutura física, apesar de mostrar um corpo longo comparando-se com sua estatura.
A cabeça do Maltês é simétrica ao restante de seu corpo, o nariz é de tamanho médio e o seu stop é bem definido. Seus olhos são enormes, pretos e também ovais. O focinho é sempre escuro e fica em contraste com o branco dos pelos. As suas orelhas costumam ser pendentes e completamente revestidas de pelos longuíssimos. A raça conta com longos bigodes e também uma franja característica. Seus membros são totalmente rodeados pela pelagem, o que provavelmente não vai impedir a movimentação do cão. Sua cauda ainda é dotada de uma extensa pelagem.
Isso lhes dá uma aparência nobre e de muita fineza que, em razão do seu pelo delicado e a sua maneira de caminhar suave, faz com que este cão pareça voar por sobre o chão, tamanha a sua elegância de locomoção.

Estrutura Psicológica do Maltês

É uma raça amigável e sem medo. Esse é um cão severo e robusto que se destaca não só como um amigo, como também como um cão de terapia e concorrente em algumas provas para cão como agility, obedience, rally e tracking. Entretanto, sobretudo, ele aprecia estar com seus donos.
O Maltês tem uma boa característica de se adaptar com o dia-a-dia de seu proprietário. Se por acaso a pessoa for muito afetiva e dinâmica ele inclusive vai ser, entretanto, se for calma, o Maltês é capaz de apresentar um comportamento que seja muito tranquilo. Isto torna o Maltês um cão de companhia por excelência.
É um bicho que costuma ser bastante dócil, e por esse ponto, pode ficar bastante tempo entretendo-se e brincando com a criançada. Ainda assim, devido a seu porte, as crianças precisam de ser supervisionadas para que não o machuquem. Ele costuma ficar bastante triste quando isto ocorre.

Privilégios de ter um cão Maltês

comportamento-maltes

O Maltês é muito vivo e dinâmico, também possui uma garganta afiada, Caso você não queira um cão que lata muito ou mesmo faça barulho, compre outra raça, pois essa não é a indicada. No entanto, ele é um ótimo cão de alarme. Bastante devotado à família, gosta bastante de atenção e aprecia ser afagado por qualquer um.
É uma das mais pequenas de todas as espécies, além de ser agradável e também lúdico para brincar. O Maltês (Bichon Maltês) com certeza é uma ótima pedida com o objetivo de se ter em sua moradia, especialmente para quem vive em edifícios e fica muito tempo na casa, para companhia.
Como costuma ser um cachorro bastante sociável, se dá bem com outros cães, desde que viva ocasionalmente com eles. É um cachorro bastante audacioso e provocador, costumando instigar cães de tamanhos maiores, por isso é fundamental ter cuidados.
Vive bem em edifícios e não tem necessidade de um quintal, desde que ele seja adequadamente exercitado. Sair para realizar caminhadas diárias e também ótimas doses de divertimentos poderão deixar esse cão bastante saudável.

Problemas comuns do Maltês

problemas-maltes Este é um cão saudável, seus olhos, porém são a sua zona mais vulnerável em relação a enfermidades. Há ainda incidências de cachorros com deficiência auditiva nesta espécie. Por fazerem festa a cada um dos moradores da casa, fazem questão de estar constantemente próximos das pessoas. Apesar disso, sempre elegem um deles como o dono predileto e carecem de ser treinados, porque conseguem ficar muito ansiosos e nervosos quando o assunto é um volume muito grande de pessoas em sua moradia, o que é capaz de gerar stress.
O Maltês tem, principalmente, 2 problemas constantes que são alergias e problemas de pele, provocados por pulgas ou produtos de higiene. Eles podem também apresentar luxação da patela.
Outra fonte de atenção precisa ser dada à dentição dupla, na ocasião em que os dentes provisórios não caem no momento em que os definitivos surgem. Neste caso, o mais recomendado é que os dentes provisórios sejam retirados para não juntarem com os outros. A raça também tem propensão ao tártaro que pode ir para um grave problema na gengiva e gerar a queda dos mesmos.

Atividades e perfil psicológico da raça Maltês

O pelo extenso requer uma escovação todo dia a fim de evitar que ele fique com muitos nós. Seu pelo branco necessita de vários cuidados extras a fim de que não manchem. Os olhos deverão ser frequentemente limpos e a barba precisará de ser limpa após cada uma das refeições.
É um cão que necessita de banhos mais constantes do que outros tipos de cachorros, já que seu pelo extenso se arrasta ao solo e se suja com bem mais simplicidade. Comumente os proprietários optam por tosar a pelagem, para tornar o cachorrinho mais simples de cuidar. No momento em que o pelo é deixado longo, os proprietários necessitam de amarrar a franja com uma buchinha de cabelo para evitar que caia em cima de seus olhos.
A grande qualidade da raça é que não perde pelos, sendo então excepcional para quem conta com mobílias que agarram pelos carpetes, entre outros, além de serem sem riscos para os indivíduos que sofrem com crises alérgicas.
A quantidade diária de ração sugerida é de 1/4 a 1/2 xícara ao dia, fracionada em duas refeições. Evite que seu Maltês fique com excesso de peso, vigiando sua comida e alimentando o espécime duas vezes por dia, em vez de conservar comida sempre acessível.

Os Filhotes do cachorro Maltês

Os filhotes no momento em que nascem são levemente diferentes dos seus genitores. Geralmente o nariz, seus olhos e os lábios são rosados e depois da primeira semana começam a aparecer pequenas manchas escuras neles. Na quase totalidade dos Malteses a cor está completa aos dois meses e caso nesse momento a parte rósea em torno dos olhos for maior que ¼, esta marcação não altera mais. O mais adequado é que o focinho, os olhos e os lábios estejam pretos já aos 60 dias.
Os pelos brancos e ausente de manchas também não é uma conjuntura intrínseca aos filhotes. Geralmente têm filhotes que nascem com tonalidades alaranjadas que varia de 10% a 40%. Essa é outra característica que deve modificar num período de dois a seis meses, no momento em que, enfim, os pelos ganham a coloração branca uniforme.

Fique atento! Cachorro à solta nas ruas pode levar à cadeia

Cachorro solto nas ruas pode ocasionar demasiada dor de cabeça para o seu dono. Além do inconveniente de ter que ficar buscando por ele, é preciso torcer para que ele não seja atropelado ou maltratado. Mas, além da segurança do animal, agora você poderá sentir também na parte financeira.

Na região de Campo Grande, agora não se pode mais deixar cachorro solto nas ruas, pois a multa pode chegar a até R$ 15.000. Para as pessoas que pensam que deixar cachorros soltos é normal, elas irão precisar refletir a respeito. A medida foi determinada para a proteção das pessoas e ainda para a própria proteção dos cachorros.

Essa iniciativa é interessante, uma vez que faz com que os proprietários pensem a respeito se precisam ou não deixar seus cães livres por aí afora. Existem inúmeras formas de esses cachorros sumirem, serem agredidos ou mesmo mortos. Mas, é melhor você continuar lendo para entender melhor a respeito dessa iniciativa. Vamos nessa?

Deixar cachorro solto nas ruas? Nem pense nisso!

cao-de-rua Cachorro solto nas ruas sempre foi motivo de discussão e de muitas reclamações. Agora, a lei de proteção aos animais, que sempre foi válida, começou a ser seguida regularmente. Para o indivíduo for advertido e não solucionar a situação está propenso a precisar desembolsar de 100 a 15.000 reais de multa.

Sete pessoas já foram notificadas pelo órgão municipal por não cuidar adequadamente ou largar animais, na grande parte das ocorrências, doentes. Os nomes foram publicados no DOM.

O que a Lei estabelece

A Lei Federal 9.605/98 determina que praticar ato de violência, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres ou domésticos, nativos ou exóticos está sujeito de 3 meses a 1 ano de reclusão mais multa, que tem probabilidade de aumentar 1/6 a 1/3 se acontecer o perecimento do espécime.

Espécimes perambulando pelas vias públicas e consequentes investidas às pessoas podem gerar problema na justiça para seus proprietários. Se existe qualquer tipo de lesão praticada por bichos, o responsável pelo espécime responde por lesão corporal culposa, consoante o Código Penal.

O delegado de Polícia Civil Enilton Zalla esclareceu que existem tipificações no Código Penal e na Lei das Contravenções Penais.

“Lesão corporal culposa, se houver determinado tipo de lesão realizada pelo espécime, dentro do artigo 129 parágrafo 6º do Código Penal, com retenção de dois meses a um ano. Se este animal está solto, zanzando pela rua, colocando em risco as pessoas, seria supressão de cautela na guarda ou condição do espécime”, afirma o delegado.

Não ocorre só com cães ou gatos – Criar aves inadequadamente também é contra a lei

galinhas Na lista que foi publicada no DO, duas pessoas foram notificadas por estar criando galinhas em regiões urbanas.

Ainda que seja uma realidade frequente, especialmente na periferia, as aves são alvo de reclamação em função do cheiro ruim. Além disto, a criação de galinhas proporciona o aumento do número do mosquito vetor da Leishmaniose, que ao picar um cachorro ou um indivíduo transmite a moléstia.

Caso a pessoa seja intimada, ela tem quinze dias para apresentar defesa na Coordenadoria de Julgamentos e Consultas.

Precauções a serem empregadas

A principal recomendação é preservar o ambiente agradável e interessante para os bichos de estimação. Não se esqueça de não deixá-lo fora de casa no decorrer de todo o dia ou auxiliá-lo a sentir que o lugar pertence a ele. Treine o seu espécime e sempre faça algo novo, como brinquedos ou recompensas, passando um tempo com ele a cada dia.

Um colar com uma medalha de especificação é um excelente acessório para ter no lar, visto que vai ajudar a reencontrá-lo se ele fugir. Nos dias de festa, deixe o seu amigo canino dentro da moradia e veja a atitude dele.

Cachorros não gostam das pessoas que não gostam de seus donos – Descubra tudo a respeito

Cães não gostam de quem não gosta de seus donos ! Será verdade isto? Todas as pessoas conhecem aquela conhecida frase: “O cachorro é o melhor amigo do homem”. No entanto, e se dissermos que, além de melhores companheiros, eles, inclusive, são capazes de ser “inimigos” dos que não gostam da gente? Uma pesquisa constatou que os cães não gostam de quem não gosta de seus donos. Entenda o motivo disso.

Investigadores da Universidade de Kyoto, no Japão, descobriram que cães não gostam das pessoas que não gostam de seus donos e, ainda por cima, não aceitam alimentos dados por pessoas que menosprezam seus proprietários. O estudo, que foi divulgado no periódico científico “Animal Behaviour”, no período de 2015, revela a aptidão profundamente refinada dos bichos em cooperar socialmente – até com outros bichos -, qualidade rara entre os espécimes.

Assim sendo, caso você note que seu cachorro se arrepia só de passar perto de alguém, é melhor ficar de olho. Estes bichinhos, além de parceiros, são capazes de nos livrar de muitas situações complicadas e de indivíduos que não desejam o nosso bem. Agora que você sabe do que iremos falar nesse artigo, continue lendo e entenda mais a respeito.

De que modo a pesquisa foi efetuada?

Coordenados por Kazuo Fujita, professor de Psicologia, os estudiosos testaram 54 cachorros, separados em 3 conjuntos. O primeiro grupo recebeu refeição de uma pessoa que, na frente dos cães, se recusou a ajudar seu dono a abrir a lata de comida.

Porém, simultaneamente, os cães poderiam escolher a refeição dada por alguém “indiferente”, desconhecido do cachorro e que não demonstrou nenhum tipo de envolvimento na ocorrência.

Em um segundo conjunto, os animais tinham as seguintes possibilidades: selecionar a comida oferecida por alguma pessoa que ajudou o seu dono a abrir a lata de alimentos ou pegar a comida fornecida por uma pessoa desconhecida.

O último conjunto também poderia selecionar entre 2 pessoas, entretanto nenhuma dessas pessoas teve contato preliminar com os donos dos cachorros.

Em cada grupo, os pesquisadores reprisaram os exames 4 vezes. No primeiro conjunto, um único animal escolheu a comida da pessoa que desrespeitou seu proprietário. Já nos outros grupos, os cães não revelaram preferência ou recusa pelas pessoas que eram servidos.

Como declara Fujita: “Pela primeira vez, medimos como os cachorros fazem considerações sociais e emocionais das pessoas, sem depender de seu interesse direto”. Os especialistas mostram que os cachorros são capazes de julgar um indivíduo com base em seu comportamento. Isto evidencia um traço fundamental que auxilia na colaboração em sociedade.

Afinal, por que os cães não gostam de quem não gosta de seus donos?

cachorro-bravo Durante um encontro, a linguagem corporal do dono irá mudar, assim como seu estado de ânimo. Isto é um ponto que os cachorros serão capazes de analisar e detectar, assim eles sentem algo no que diz respeito à pessoa.

Da mesma forma, o mesmo estudo estabeleceu que os cachorros também não gostam das pessoas que têm atitudes desagradáveis ou são grosseiras com seus animais de estimação. Por essa razão, em qualquer caso, irão se recusar a dar qualquer atenção, mesmo que estas pessoas deem atenção, comida e chamego.

Segundo essas reações pode-se afirmar: os cães não gostam de quem não gosta de seus donos . E, ainda mais, não gostam também daqueles que não mostram qualquer tipo de afeto com os indivíduos próximos. Com efeito, esse tipo de conduta só é reconhecida nos grupos humanos e de primatas. Isto acaba sendo uma descoberta bastante importante na linha da intelectualidade e psicologia dos espécimes.

Conclusão

cachorro Os cachorros adoram as pessoas, isso é fato! Ainda que determinadas pessoas fiquem pensando que é em consequência da alimentação e dos carinhos que adquirem, há algo mais. Os cachorros entendem quando alguma pessoa gosta (ou não) deles. Sendo assim, fique feliz na ocasião em que o cachorro fica contente ao ver você, isso é sinal que você tem excelentes sentimentos.

Aquele que vai até sua moradia e não nutre nenhum tipo de sentimento pela sua pessoa, é melhor ficar esperto. Os cães sentem quando alguém não gosta de seus donos e irão fazer o máximo para alertar seus tutores. Agradeça a seus cachorros por eles estarem perto e sempre atentos a tudo e a todas as pessoas.